• Facebook Clean
  • White Instagram Icon

Foi muito mais que uma viagem!!

 

  Tudo começou numa SURF TRIP YOGA de mochila às costas durante pouco mais de 3 semanas com 4 amigos até a ilha de BALI, na indonésia, com a finalidade de conhecer as praias de areia branca, paisagens naturais, os vulcões, as cascatas e os extensos arrozais.

   Mas foi de prancha na mão que em ULUWATU mais precisamente na DREAMLAND BEACH que conhecemos a querida Luísa, uma artesã local que como todos os outros nativos, para além da sua simpatia, o que mais queriam mesmo era fazer um bom negócio com os turistas. Como tal esta mulher especial, exibiu as suas pulseiras da "sorte" , feitas com a ajuda dos seus pés marcados pela sua história de vida pelas tardes tórridas de praia. 

  Pelo olhar mais atento do nosso fotógrafo da viagem, surgiu o interesse de aprender a fazer as ditas pulseiras coloridas, e esse ensinamento deu "pano-para-mangas", onde não faltaram temas de conversa. Luísa não podendo naturalmente gastar o seu material nobre, sendo o seu ganha pão, sugeriu-nos uma caminhada pela praia onde apanhamos restos de cordas, cabos, e redes deixadas pelos pescadores para amarrar os barcos. 

   Tal foi a cumplicidade que travamos durante essa tarde, que Luísa, também curandeira, dizia de forma séria que estas seriam as nossas pulseiras da sorte, pedindo-nos que as levássemos para o mundo.

   No dia seguinte antes de seguirmos para UBUD, voltamos à praia para nos despedirmos dela, mas disseram-nos que apenas lá passava uma vez por mês e que tinha continuado a sua sábia caminhada espiritual.

  Seguimos viagem, levando no pensamento as convicções e tudo o que Luísa nos tinha dito. Surgiu-nos a dada altura a ideia de criarmos com as cordas com que ficámos, pulseiras e fitas-de-óculos e usá-las nas nossas fotografias de viagem, partilhando nas nossas redes sociais com os nossos amigos.

  Foi tão grande a afluência de comentários, a perguntar onde poderiam encontrar acessórios iguais, que nasceu a A-corda.

  Agora já em Lisboa a continuar a levar as pulseiras da sorte para o mundo.

Sobre nós - de Bali a Lisboa

Quando nos perguntam se as pulseiras têm algo de inovador?

  - A resposta sincera é que não, mas são especiais e trazem a alma e a dita sorte que a Luísa tanto apregoou naquela tarde e naquela praia DREAMLAND -  Praia dos sonhos.